Densuke – a melancia mais cara do mundo

Cultivada apenas na ilha norte de Hokkaido, em pequenas quantidades que raramente excedem 100 unidades por ano, a Densuke é considerada uma das melancias mais raras do mundo. Não é o tipo de fruta que você espera encontrar em um mercado ou mercearia. Em vez disso, as poucas frutas disponíveis todos os anos são leiloadas pelo maior lance em eventos altamente antecipados, por centenas e até milhares de dólares. A melancia Densuke mais cara da história foi leiloada em 2019, por 750.000 ienes (iene é a moeda japonesa)(US$ 6.000). Os preços caíram nos últimos dois anos, devido à pandemia de Covid-19, mas a melancia preta continua sendo a variedade mais cara do mundo, de longe.

Conhecidas por seu exterior preto e brilhante, diz-se que as melancias Densuke têm uma carne crocante, um nível mais alto de doçura do que outras variedades de melancia e menos sementes. Os sortudos que experimentaram a fruta dizem que tem gosto de melancia, só que melhor.
Embora a raridade da variedade definitivamente deixe sua marca no preço das melancias Densuke, vale ressaltar que o preço final também reflete a quantidade de tempo e dedicação que é necessário para cultivá-las.
Embora os primeiros lotes da safra anual produzam os preços mais altos nos leilões de frutas, as melancias Densuke geralmente podem ser compradas a preços a partir de cerca de US$ 250 por fruta, o que na maioria dos países ainda é uma quantia exorbitante para pagar por uma única fruta.
Como a maioria dos outros produtos de luxo , as melancias Densuke vêm embaladas em caixas de papelão cúbicas lindamente decoradas e incluem certificados de origem, pois a prova de autenticidade é muito importante. Eles são mais frequentemente oferecidos como presentes, para mostrar respeito, gratidão e manter os relacionamentos suaves.
Não está claro por que a melancia Densuke ainda não é amplamente cultivada fora do Japão, mas de acordo com a revista The Gardener , as sementes estão se tornando comercialmente disponíveis na Europa e na América do Norte.
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem